Sa√ļde Aleitamento Materno

Campanha incentiva doação de leite materno no país

Iniciativa marca Dia Mundial de Doação de Leite Humano

Por Redação

19/05/2023 às 10:04:13 - Atualizado h√°

A profissional de saúde Luciana Simões Gripp Barros doou o excedente de leite até os nove meses da filha mais velha e parou com o início da pandemia de covid-19 porque não ainda havia estudos sobre a doença. Agora, com a filha mais nova com menos de um m√™s, ela voltou a doar no Banco de Leite do Instituto Fernandes Figueira, da Fundação Oswaldo Cruz (IFF/Fiocruz), situado no bairro do Flamengo, zona sul do Rio de Janeiro.

Segundo Luciana, quando a mulher vira mãe começa a olhar para o beb√™ de outra forma. "Começa a se colocar no lugar daquela mãe que tem filho prematuro, que não tem leite suficiente ou que não pode amamentar. Tudo muda. O nosso olhar fica mais atento ao beb√™". Ela explicou que quando a mulher tem filho, os hormônios ficam tão à flor da pele que trazem uma sensibilidade que leva a perceber e se colocar realmente no lugar do outro. "É um emaranhado de sentimentos. É gratidão, empatia, é voc√™ também ser grato a Deus por ter a oportunidade de amamentar suas filhas. Então, fazer isso pelo outro é uma forma de retribuição pelo que voc√™ tem".

Surgimento

O primeiro banco de leite humano do país foi criado em outubro de 1943, no Instituto Nacional de Puericultura, hoje IFF/Fiocruz, alcançando cinco unidades até os anos 80. O número começou a aumentar a partir daí e se configurou como Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (Rede BLH-BR) durante um congresso, em 1985.

A coordenadora da Rede BLH-BR, Danielle Aparecida da Silva, também coordenadora do Banco de Leite Humano (BLH) do IFF/Fiocruz, informou que em outro congresso, em 2010, essa rede se estendeu como rede global de bancos de leite humano. "Porque só de 2005 em diante, a gente conta com a participação de outros países da América Latina e, depois, da Península Ibérica, do Caribe, da América e √Āfrica." Mais recentemente, aderiram países do Brics (bloco que reúne o Brasil, a Rússia, Índia, China e √Āfrica do Sul). A rede brasileira serviu de inspiração para a Rede Global de Bancos de Leite Humano (rBLH). "Ela se amplia para uma rede global. Somos um único modelo, uma única ação".

Referência

A Rede BLH-BR se tornou refer√™ncia mundial pelo modus operandi (modo de operação), disse Danielle. O modelo introduzido no Brasil na década de 40 era anglo-saxão e entendia o uso do leite humano como um medicamento para as crianças que não respondiam bem ao tratamento quando internadas. Mas, quando o trabalho dos bancos foi iniciado em rede, o leite humano passou a ser visto muito mais do que um medicamento, como um alimento funcional, com características próprias, capazes de promover o crescimento e desenvolvimento de recém-nascidos vulner√°veis internados na UTI neonatal. "E mais que isso: A gente traz para dentro do banco de leite assist√™ncia e atenção ao aleitamento materno. Ou seja, o banco de leite passa a ser um centro de apoio à amamentação, um centro de proteção, promoção e apoio ao aleitamento materno", reforçou Danielle.

Qualquer mulher que tenha dúvidas sobre algumas intercorr√™ncias durante o período de amamentação pode se dirigir a um banco de leite humano, onde a equipe multidisciplinar ir√° apoi√°-la nesse momento, indicou a coordenadora. Por isso, o banco passa a ser visto também pelo Ministério da Saúde como ferramenta de promoção do aleitamento materno e instrumento para diminuição da mortalidade infantil nesse quesito neonatal. Aí, começa a ter a visibilidade para outros países. "Assim, a gente começa a implementar uma cooperação técnica em bancos de leite humano", destacou a coordenadora.

O Brasil conta, atualmente, com 228 bancos de leite humano e 240 postos de coleta. São Paulo é o estado com maior número de bancos (58) e tem 49 postos de coleta. Do total de mais de 234 mil litros de leite humano coletados durante o ano passado pela Rede BLH-BR, o Distrito Federal foi a unidade federativa que coletou a maior quantidade de leite humano: 15.162 litros. "É onde existe maior autossufici√™ncia de leite humano". O estado do Rio de Janeiro tem 17 bancos de leite humano e 18 postos de coleta.

Benefícios

A campanha deste ano do Dia Mundial de Doação de Leite Humano tem o slogan "Um pequeno gesto pode alimentar um grande sonho". Danielle aproveitou para dizer às mulheres que produzem quantidade excedente de leite que podem entrar em contato com os bancos e fazer sua doação. "Ao amamentar, ela sonha para o filho um futuro melhor. E, quando ela doa, permite que outras mães sonhem também, porque est√° doando para um beb√™ prematuro, que est√° na UTI neonatal, que nasceu antes da hora e ainda precisa muito dessa doação para o crescimento e o desenvolvimento saud√°vel. Porque o leite humano é o melhor alimento, que tem todos os seus ingredientes de forma apropriada para o crescimento dessa criança".

O leite humano tem ainda características de prevenção de diarreia, de doenças cardiovasculares, de diabetes; é um alimento contra infecções. A mulher que doa leite humano est√° ajudando, apoiando a vida saud√°vel de outro beb√™.

Como doar

Em Campos, o banco de leite funciona todos os dias de 7 às 19 horas, no Hospital Plantadores de Cana, com técnicas de enfermagem e enfermeira respons√°vel pelo setor. No local acontece a promoção de v√°ria ações como: acolhimento à mulher, orientação individual e no alojamento conjunto; ordenha; coleta de leite e pasteurização; disponibilização de leite da própria mãe para o recém-nascido internado na Unidade Neonatal; divulgação intra e extra muros da importância do leite materno e do BLH; captação de puérperas como doadoras e busca domiciliar do leite doado, em viatura própria do HPC.

O banco de leite do HPC é credenciado pela rede cegonha do governo federal, e atende aos municípios do norte e noroeste fluminense.

Todo leite doado é analisado, pasteurizado e submetido a rigoroso controle de qualidade antes de ser ofertado a uma criança. E, todo leite descongelado, não deve ser congelado novamente.

Para mais informações entre em contato com o Banco de Leite do HPC através do telefone (22) 27377431.

Comunicar erro
Campos Informa

© 2024 Campos Informa - Todos os direitos reservados.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Campos Informa