Geral Black Fraude

'Black Fraude': confira 10 dicas para não cair em golpes e saiba como garantir seus direitos

Código de Defesa do Consumidor também assegura direito a arrependimento, garantia, trocas e devoluções, explica Joyce Lira, professora de Direito da UVA

Por Redação

23/11/2023 às 21:18:08 - Atualizado há
Foto: Divulgação

O barato, muitas vezes, pode sair caro. Para evitar golpes na hora de comprar pela internet nesta Black Friday, Joyce Lira, professora de Direito da Universidade Veiga de Almeida (UVA) e especialista em Direito do Consumidor, listou dez dicas. Confira:

1. Verifique o domínio e URL

2. Procure pelo cadeado HTTPS

3. Veja se o site contém selos de segurança

4. Consulte o nome da loja no Reclame Aqui

5. Consulte o nome da loja nos sites dos Tribunais de Justiça

6. Confira a idade do domínio com o Whois

7. Use o Posso Confiar

8. Verifique a presença de informações obrigatórias por lei (CNPJ, Razão Social, endereço da sede da empresa, telefone, e-mail ou formulário para contato)

9. Examine a política de troca e devolução da loja

10. Cheque as formas de pagamento


Para a professora da UVA, os marketplaces nas redes sociais, como Instagram e Facebook, também requerem atenção. "Os melhores preços nem sempre traduzem um bom negócio. Desconfie sempre e compare bastante antes de adquirir o produto. O ambiente do marketplace das redes sociais é aberto para qualquer pessoa que queira anunciar um produto e, por isso, existem muitas fraudes. O ideal é verificar os comentários das publicações, se há reclamações sobre o vendedor em sites do gênero e se existem informações suficientes sobre o produto, suas características e formas de pagamento", destaca.

Outra recomendação é que se dê preferência para aquisições com empresas e, se for tratar diretamente com pessoas físicas, redobre os cuidados. Evite ao máximo passar os dados pessoais e jamais informe os dados de cartão de crédito se não for em sites verificados com selos de segurança e HTTPS.

"Mantenha ainda registros de todo o passo a passo, desde conversas e tratativas, até comprovantes de pagamento, capturando a tela com as especificações do produto e organizando em uma pasta para as aquisições. Em caso de problemas com a compra, é preciso que o fornecedor tenha liquidez, ou seja, o ideal é tratar com empresas de grande porte, contra as quais é possível obter sucesso em eventual processo judicial, no caso de condenação indenizatória. De nada vale ganhar o processo e não levar", completa Lira.

Direitos do Consumidor: comprei online e agora?

De acordo com a Lei 8.078, de 1990, conhecida como Código de Defesa do Consumidor, o consumidor pode desistir do contrato, no prazo de sete dias a contar de sua assinatura ou do ato de recebimento do produto ou serviço, sempre que a contratação de fornecimento de produtos e serviços ocorrer fora do estabelecimento comercial, especialmente por telefone ou a domicílio. "Segundo o Código, se o consumidor exercitar o direito de arrependimento, os valores eventualmente pagos, durante o prazo de reflexão serão devolvidos, de imediato, monetariamente atualizados", ressalta Joyce Lira, professora de Direito da UVA.

Os consumidores também têm direito a troca ou devolução quando o produto comprado apresentar vícios de qualidade ou quantidade que os tornem inapropriados ao consumo ou diminuam seu valor. O prazo para resolução do problema é de 30 dias. Se o problema não for resolvido dentro do prazo, o cliente tem o direito de escolher uma das seguintes alternativas: a substituição do produto por outro da mesma espécie, em perfeitas condições de uso; a restituição imediata da quantia paga, monetariamente atualizada, sem prejuízo de eventuais perdas e danos; ou o abatimento proporcional do preço.

Outro direito previsto em lei é a garantia legal. O consumidor tem 30 dias para reclamar de problemas com o serviço ou produto se ele não for durável (alimentos, por exemplo) ou 90 dias se for durável (uma geladeira, por exemplo), a contar a partir do recebimento da compra. "No caso de um vício oculto, ou seja, aquele defeito que só se mostra depois de um certo tempo de uso, o prazo começa a contar a partir do momento em que o defeito é constatado", finaliza a especialista.

Comunicar erro

Comentários Comunicar erro

Campos Informa

© 2024 Campos Informa - Todos os direitos reservados.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Campos Informa